Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.observatoriodocuidado.org/handle/handle/697
Title: Comparação de características demográficas e clínicas entre crianças e adolescentes com transtorno depressivo maior
Other Titles: Comparison of demographic and clinical characteristics between children and adolescents with major depressive disorder
Authors: Fu-I, Lee
Wang, Yuan Pang
Issue Date: 2008
Citation: FU-I, L.; WANG, Y. P. Comparison of demographic and clinical characteristics between children and adolescents with major depressive disorder. Revista Brasileira de Psiquiatria. v.30, n.2, p.124-131, 2008.
Abstract: Objetivo: Comparar as características clínicas de transtorno depressivo maior entre crianças e adolescentes. Método: Amostra constituída de 58 sujeitos admitidos consecutivamente em um serviço especializado em transtornos do humor na infância e adolescência durante um período de 6 meses. Foram considerados crianças sujeitos com idade entre 5 e 9 anos, e adolescentes aqueles com idade entre 10 e 17 anos. Todos os participantes preenchiam diagnóstico de transtorno depressivo maior seguindo os critérios de DSM-IV. O diagnóstico de transtorno depressivo maior e avaliação de aspectos psicopatológicos foram realizados por entrevista clínica direta e aplicação de entrevista de apoio ao diagnóstico. O funcionamento global e a gravidade dos sintomas depressivos foram mensurados através de versões adaptadas de Children’s Depression Rating Scale–Revised Version e Children Global Assessment Scale. Resultados: Os sintomas depressivos mais freqüentes foram: anedonia (72,4%), humor depressivo (72,4%), diminuição de concentração (62,1%) e irritabilidade (58,6%). A intensidade do episódio depressivo dessa amostra variou de leve a moderada. Cinqüenta por cento relataram pensamentos mórbidos e 29,3% apresentaram sintomas psicóticos variados. Quando comparados com crianças, adolescentes apresentaram significativamente mais humor depressivo (p = 0,043), baixa auto-estima (p = 0,002) e mais dificuldade de concentração (p = 0,020). As adolescentes femininas tinham mais baixa auto-estima (p = 0,003) e os masculinos mostraram mais diminuição de concentração (p = 0,016). Conclusão: Esse estudo sugere que idade e gênero poderiam influenciar na apresentação clínica de transtorno depressivo maior em crianças e adolescentes. Estudos com amostra mais representativa serão necessários.
Description: Disponível originalmente em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v30n2/a07v30n2.pdf
URI: http://repositorio.observatoriodocuidado.org/handle/handle/697
ISSN: 1516-4446
Appears in Collections:Suicídio - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
rbp.S1516-44462008000200007.pdf526.72 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.